terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Pit Stop contra Dengue

Mais uma vez a EEEFM Machado de Assis foi para avenida com um grupo de alunos para conscientizar a comunidade local sobre a importância da Prevenção contra Dengue.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Projeto “A COR DO BRASIL: Questões Afro - Raciais”

1– Apresentação
O projeto “A Cor do Brasil: Questões: afro – Raciais”, visa iniciar o processo de implementação do Ensino da História da África e da Cultura Afro – brasileira nesta escola, de acordo com a Lei Federal n.º 10.639 de 10 de janeiro de 2003, a qual tornou obrigatória abordagem em todos os níveis educacionais.

Em termos de metodologia as atividades serão desenvolvidas em formas de:
•Palestras; Oficinas; Exibição de filmes e a Realização de festividades em comemoração ao Dia da Consciência Negra (20 de novembro).
Dentre os temas a serem trabalhados se destacam: O Racismo, História da África, História dos Afros – descendentes no Brasil e Manifestações da Cultura Negra. Serão produzidos pelos alunos envolvidos diversos materiais sobre as temáticas, tais como: cartazes, desenhos, poesias, jornal, mural, construção de gráficos, os quais visam sensibilizar a clientela, no sentido de mudança de atitudes por parte de toda comunidade escolar e do bairro em relação às questões propostas.

2 - Justificativa
Justifica-se a elaboração, bem como a execução deste projeto “ A Cor do Brasil: Questões Afro – Raciais” a contribuição no avanço das práticas educacionais que buscam a implementação da Lei Federal n.º 10.649 de 10 de janeiro de 2003, assim como as Diretrizes Nacionais sobre a Diversidade do Conselho Nacional de Educação, promovendo a sensibilização da comunidade escolar para as questões étnico – raciais, a partir das quais serão repassados valores e atitudes, promovendo a conscientização da situação atual no negro na sociedade brasileira.
A obrigatoriedade de inclusão da História e Cultura Afro – brasileira e Cultura Africana nos currículos da Educação Básica, trata-se de decisão política, com fortes repercussões pedagógicas, inclusive na formação dos professores. Com esta medida, reconhece-se que além de garantir vagas para negros nos bancos escolares é preciso reconhecer o devido valor da História e da Cultura de seu povo, objetivando reparar danos que se repetem há cinco séculos, a sua identidade e a seus direitos. A relevância do estudo em relação aos temas já referidos acima, não se restringem à população negra, ao contrário, diz respeito à todos os brasileiros, uma vez que devem educar-se enquanto cidadãos atuantes no seio de uma sociedade multicultural e pluriétnica, capas de construir uma nação democrática.
Nesse contexto, deparou-se com a necessidade de elaborar atividades significativas que visem combater o racismo, desmistificando preconceitos nos espaços escolares e valorizando as diferenças raciais, permitindo com que os alunos percebam que a cultura afro-brasileira e africana não é apenas de negros e pobres, mas sim o berço de muitas histórias; do samba, do bumba-meu-boi, do folclore, tornando-os cidadãos conscientes de sua história e da importância da mesma para sua perpetuação.

3– Metas
Objetiva-se com o Projeto “A cor do Brasil: Questões Afro-raciais” despertar nos educandos a capacidade de conviver e dialogar com a diversidade Cultural e Histórica do Brasil, promovendo uma maior identificação dos estudantes com os conteúdos e práticas ensinadas na escola, levando-os a reconhecer que a sociedade brasileira apresenta aspectos que a diferenciam, tais como: especificidades de gêneros, de raças/etnias, de religião, de orientação sexual, de valores e outras diferenças definidas a partir de suas histórias.
Outro aspecto que deve ser levado em consideração aponta como questões fundamentais as experiências pedagógicas que se propõem a empreender em um a formação escolar não-discriminatória e de valorização do legado afro-descendente para construção do conhecem através de conteúdos que abordam o estudo da História da África e dos africanos, das lutas dos negros no Brasil, da cultura negra brasileira e do negro na formação da sociedade racional.
Conduzí-los a se dar conta de que somos diferentes e que a diferença não deve pautar a construção de relações desiguais. Percebendo que podem ser jun to com os professores os promotores da transformação do Brasil em um pais que haja direitos iguais e respeito à diferença.
Portanto, almeja-se propiciar uma educação com vistas a interromper a reprodução de práticas discriminatórias e racistas, respeitando as diferenças e à diversidade no ambiente escolar.

4 - Objetivos
4.1 Geral:
 Despertar na comunidade escolar o respeito mútuo, o reconhecimento das diferenças, a possibilidade de se falar sobre as diferenças sem medo, receio ou preconceito.

4.2 Específicos:
 Identificar e analisar o impacto das transformações culturais, comparando, analisando e sintetizando a densidade das relações e transformações que tornaram a realidade concreta e vivida;
 Refletir sobre o universo cultural afro-brasileiro e africano, contribuindo dessa forma, para a compreensão da cultura afro-brasileira e para a eliminação de idéias e atitudes estereotipadas e preconceituosas;
 Apontar a necessidade de uma consciência profunda e ampla da importância da raça negra no processo de formação histórica cultural brasileira;
 Adotar atitudes de respeito pelas diferenças culturais entre as pessoas, necessário ao convívio numa sociedade democrática e pluralista.

5– Metodologia
Para a realização do Projeto “ A cor do Brasil: Questões Afro-Raciais”, foram necessárias muitas ações, desde o desenvolvimento de uma estratégia de sensibilização da comunidade escolar, de preparação e participação de todos, até a execução do mesmo. Usamos como referência, para iniciá-lo a aprovação da Lei Federal nº 10.639/2003 que tornou obrigatório o ensino de História da África e da Cultura Afro-Brasileira em todas as escolas de Ensino Fundamental e Médio no país e, portanto, projetos como este vem ao encontro dessa obrigatoriedade.

As ações propostas, para este projeto, se estenderam pelo mês de outubro e meados de novembro e se constituíram em:
 Língua Portuguesa: Textos com informações sobre a literatura de grandes literatos de descendência africana, vocabulário;
 História: Peculiaridades históricas, valores culturais;
 Geografia: Aspectos Geográficos do Continente Africano;
 Ciências: Textos referentes à temática da saúde da população negra, doenças genéticas, hereditária e incurável que afeta especialmente os afro-descendentes;
 Matemática: Textos com dados estatísticos da situação do Negro no Brasil, construção de dados estatísticos, análise de gráficos, cálculos de percentagem;
 Educação Física: Atividades Lúdicas;
 Arte: Desenvolvimento de trabalhos artísticos;
 Filosofia: Conscientização crítica sobre as questões étnico-raciais;
 Ensino Religioso: A marginalização no processo escolar.

Sugestões Pedagógicas para Desenvolvimento das Ações Propostas:
 Realizar pesquisa bibliográfica e eletrônica sobre alguns dos elementos da cultura africana que foram incorporados à cultura brasileira;
 Formar grupos onde cada um irá escolher um país africano de Língua Portuguesa e levantar dados sobre os grupos étnicos que nele vivem atualmente, modo de vista dos seus habitantes, línguas ou dialetos falados simultaneamente ao Português;
 Apresentar fatos de cerimônias religiosas africanas ocorridas na África e no Brasil, solicitar que os alunos observem e interpretem individualmente apontando semelhanças e diferenças, a época de cada fato;
 Elaborar um fichamento sobre as obras literárias de escritores negros;
 Sugerir aos alunos que tragam CDs e letras de músicas de grupos de rap que falam dos problemas de periferia das grandes cidades e criar um rap buscando possíveis soluções para os problemas levantados e apresentá-lo à comunidade escolar;
 Pesquisar sambas que narram em sua composição a trajetória cultural dos negros e apresentar em forma de dança;
 Estudar palavras de origem africana que são comuns em nosso idioma, confeccionando um dicionário contendo esses termos;
 Promover reflexões sobre a imagem da população negra representada nas novelas das redes de televisão;
 Criar um painel sobre artistas negros e suas obras;
 Convidar capoeiristas para realizar uma apresentação para a comunidade escolar;
 Construir gráficos ilustrando os dados da composição da população brasileira;
 Pesquisar sobre as religiões africanas presentes no Brasil;
 Ler e discutir sobre o Tráfico Negreiro, Resistências do povo negro e Remanescentes de Quilombos;
 Desfile dos Candidatos ao título de Garoto/Garota Afro da Escola;
 Elaboração de um jornal mural contendo: Editorial, notícias da África, idéias que desfiam o preconceito, recados e opiniões;
 Apresentações de vídeos relativos à temática;
 Debates.

6 – Avaliação
A avaliação deste projeto será realizada, através da participação efetiva dos alunos no desenvolvimento das atividades propostas e na intervenção do professor tendo como produto final:
 Pesquisas;
 Apresentação de ritmos musicais;
 Apresentação de danças regionais;
 Trava-línguas;
 Encenação de Lendas Folclóricas e Urbanas;
 Comidas Típicas.

07 – Referências bibliográficas
www.folclore.com.br
Livros Didáticos
Almanaques

Profª. Cleide Gomes Bueno – Coordenadora de Projetos.

video

Projeto "Nos Trilhos da Poesia"

O vídeo é parte integrante do Projeto, que está sendo desenvolvido com alunos do 5º ano "B", pela Profª. Cleidinéia Santi e Coord. do LIE da EEEFM Machado de Assis, tendo como parceiros a Coord. da TV Escola e Supervisão Escolar 1ºao 5º ano.

video

Trilha sonora: "Trenzinho caipira" - Heitor Villa Lobos

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A influência afro na literatura.

video
O Projeto "Literatura Negra" foi desenvolvido pelos alunos do 8º ano "A" - EJA da Escola Machado de Assis, coordenado pela Prof. Marcos Adriel Sampaio Rost e apresentado na I FECICA - Feira de Ciências e Arte, no dia 07/11/2009, nas dependências da Escola.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Soja também é saúde.

video
O Projeto "Soja e seus derivados" foi organizado pelos alunos do 2º"A" e 3º "B"- EJA, da Escola Machado de Assis, coordenado pela Prof. Ronildo Nascimento, produtos gentilmente fornecidos pela SEMBES-Secretaria Municipal de Bem Estar Social, através da CPA-Central de Produção de Alimentos e apresentado na I FECICA - Feira de Ciências e Arte, no dia 07/11/2009, nas dependências da Escola.